Congestionamento nos portos da China pode prejudicar compras de Natal deste ano

Um surto de coronavírus no sul da China entupiu portos críticos para o comércio global, causando um acúmulo de embarques que pode demorar meses para ser resolvido e levar à escassez de produtos para as compras de fim de ano.

O caos começou no mês passado, quando as autoridades da província de Guangdong, no sul da China — sede de alguns dos portos de contêineres mais movimentados do mundo — cancelaram voos, fizeram o lockdown em comunidades e suspenderam o comércio ao longo de sua costa para controlar um rápido aumento nos casos de Covid-19 .

A taxa de infecções melhorou desde então, e muitas operações foram reestabelecidas.

Mas o estrago já está feito. Yantian, um porto a cerca de 80 quilômetros ao norte de Hong Kong, movimenta mercadorias que preencheriam 36 mil TEUs (capacidade em contêineres de 20 pés) todos os dias. Ele foi fechado por quase uma semana no fim do mês passado, quando foram detectadas infecções entre os operadores portuários. Embora o porto tenha sido reaberto, ele ainda está operando abaixo da capacidade, criando um enorme acúmulo de contêineres esperando para sair e navios esperando para atracar.

O congestionamento em Yantian se espalhou para outros portos de contêineres em Guangdong, incluindo Shekou, Chiwan e Nansha. Todos estão localizados em Shenzhen ou Guangzhou, o quarto e o quinto maior porto de contêineres do mundo, respectivamente. O efeito dominó está criando um grande problema para o setor de transporte marítimo mundial.

O acúmulo de Yantian “está causando mais disrupção em uma cadeia de suprimentos global já pressionada, inclusive na importante parte marítima”, disse Peter Sand, analista-chefe de transporte da Bimco, uma associação de armadores. As pessoas “podem não encontrar tudo o que querem quando forem às compras de Natal”, acrescentou.

Na quinta-feira (17), mais de 50 navios porta-contêineres estavam esperando para atracar no Delta do Rio das Pérolas, em Guangdong, de acordo com dados da Refinitiv. É o maior acúmulo desde 2019.

Apenas em Yantian, as complicações nas operações já são preocupantes. O porto não conseguiu movimentar cerca de 357 mil TEUs desde o fim de maio, segundo uma estimativa recente de Lars Jensen, CEO da consultoria dinamarquesa Vespucci Maritime. Isso é mais do que o volume total de frete impactado pelo fechamento de seis dias do Canal de Suez em março.

As operações portuárias de Yantian já se recuperaram para cerca de 70% dos níveis normais, mas não devem retornar à capacidade total até o fim de junho.

Fonte: https://www.cnnbrasil.com.br/business/2021/06/20/congestionamento-nos-portos-da-china-pode-prejudicar-compras-de-natal-deste-ano